Há 45 anos: Pelé se despedia da seleção brasileira

Por Alberto Nogueira

Há 45 anos, Pelé encerrava sua vitoriosa trajetória com a camisa 10 da seleção brasileira em um Maracanã lotado, com cerca de 140 mil torcedores pedindo para que o rei do futebol mudasse de ideia.

O maior artilheiro de todos os tempos, com 1.281 gols, não marcou o seu no empate por 2 a 2 contra a Iugoslávia (gols de Rivelino e Gerson) e foi substituído ainda no intervalo. Em sua saída do campo, o craque não segurou as lágrimas.

Aos gritos de “Fica, Pelé!”, a torcida brasileira se despedia do tricampeão mundial (1958, 1962 e 1970), que defendeu como ninguém a camisa canarinho durante 14 anos: foram 95 gols (77 em jogos oficiais) em 123 partidas (92 oficiais).

Daquele momento em diante, a seleção brasileira viveria uma seca de títulos importantes, que só terminaria com as conquistas da Copa América, em 1989 –disputada no Brasil–, e da Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos.

Relato da Folha sobre a última partida de Pelé pela seleção brasileira