Com Apollo e Viking, EUA desbravam o espaço

Por Cristiano Cipriano Pombo

20 de julho é dia histórico na exploração do espaço sideral.

Em 1969, exatamente às 23h, 56 minutos e 31 segundos (no horário de Brasília), o comandante Neil A. Armstrong tocou o solo da Lua.

Assim a Folha noticiou toda a conquista da Lua, principalmente o momento em que o astronauta norte-americano, com transmissão ao vivo para os “terráqueos”, disse a célebre frase: “É um pequeno passo para o um homem, mas um grande salto para a humanidade“.

Com o título “A Lua no bolso“, a reportagem relatou todas as ações executadas pelos astronautas Neil Armstrong e Edwin “Buzz” Aldrin.

A expectativa fora criada na véspera. Após um voo perfeito, a Apollo 11 entrara na órbita do satélite, com os dois astronautas e Michael Collins.

O jornal descreveu que, além de o primeiro passo na Lua ser dado somente com autorização da Nasa (a agência espacial dos EUA), também se encontrava na órbita lunar o satélite soviético Luna 15, “cuja missão Moscou continua cercando de segredo”.

X

Collins se manteve na nave-mãe. Armstrong e Aldrin, a bordo do módulo Águia, pousaram na Lua e esperaram 6h38min para tocar o solo pela primeira vez.

Entre as reportagens e o caderno especial publicados pela Folha, além de descrever a biografia de Armstrong, chamaram a atenção uma frase de Pelé e um poema de Pablo Neruda.

Poema de Pablo Neruda publicado em 20 de julho de 1969 sobre a conquista da Lua
Poema de Pablo Neruda publicado em 20 de julho de 1969 sobre a chegada à Lua

Joguei em todas as partes, e o único campo que me falta é o da Lua“, disse à época Pelé, que estava em Bogotá (Colômbia) e disse que gostaria de ir ao satélite da Terra acompanhado da família.

No dia seguinte, a Folha trouxe uma cobertura completa, com a repercussão do feito no mundo todo. Os astronautas ficaram na Lua por 21 horas, 36 minutos e 41 segundos. Lá, coletaram 35 quilos de amostras minerais, fincaram bandeira e deixaram mensagem no solo lunar. Largaram na Lua também “o lixo mais caro do mundo”, que consistia na câmera de televisão, a de fotos em primeiro plano, ferramentas e equipamentos de oxigênio, que, juntos, custaram quase US$ 1 milhão.

Além da conquista da Lua, o dia 20 de julho marcou outra grande conquista no espaço. Isso porque, em 1976, há exatos 40 anos, às 8h53 (horário de Brasília), a sonda automática Viking 1 pousou em Marte.

A descida no “planeta vermelho” estava marcada para 17 de julho de 1976, mas alterações atrasaram o cronograma. As transmissões feitas pela sonda demoraram 19 minutos para enviar imagens e informações a Pasadena (EUA).

A Folha informou que 20 sondas de Moscou e Washington foram dirigidas a Marte desde 1960. E que o pouso no planeta marcou a última etapa de uma viagem iniciada 11 meses antes pela Viking 1, em Cabo Canaveral (EUA).

Primeira página da Folha de 21 de julho de 1976
Primeira página da Folha de 21 de julho de 1976