Há 10 anos, Inter surpreendeu o Barcelona de Ronaldinho Gaúcho e ganhou o Mundial de Clubes

Por EDGAR SILVA

Há 10 anos, o Inter derrotou o Barcelona, em Yokohama (Japão), e se sagrou campeão do mundo.

Adriano, do Internacional, vibra após marcar gol contra a equipe do Barcelona (Foto: Nogi Kazuhiro/AFP)
Adriano, do Internacional, vibra após marcar gol contra a equipe do Barcelona (Foto: Nogi Kazuhiro/France Presse)

Pela primeira vez na luta pelo título do Mundial de Clubes, o colorado venceu o favorito Barcelona por 1 a 0, com gol marcado pelo reserva Adriano, aos 37 min do segundo tempo.

A conquista de 17 de dezembro de 2006 representou o nono título mundial de clubes brasileiros, o que na ocasião, igualou ao número de troféus da Argentina, então maior recordista do torneio -com o título do Corinthians sobre o Chelsea, em 2012, o Brasil passou a ter dez troféus da competição contra os ainda nove da Argentina.

O êxito do Inter foi muito comemorado. Do outro lado estava o poderoso Barcelona e suas estrelas, entre elas Ronaldinho Gaúcho –eleito dois anos consecutivos melhor jogador do mundo pela Fifa.

A festa também rendeu provocação aos rivais. “Os gremistas vão ter que nos engolir, como já dizia o Zagallo”, disse o ala Ceará após a partida.

O capitão colorado, Fernandão (1978-2014), tentou amenizar. “Não podemos cair nessa onda de rivalidade com o Grêmio ou com qualquer clube do mundo. Viemos aqui, vencemos o Barcelona e isso é o que importa”, resumiu.

O atacante Alexandre Pato, 17, se tornou, na ocasião, o jogador mais jovem a conquistar o Mundial de Clubes e, ao final do jogo, trocou de camisa com Ronaldinho. “Com certeza, ele é meu ídolo. Para mim, é uma honra ter trocado de camisa com o melhor do mundo.”

Apesar do gol de Adriano, o atleta do Inter mais elogiado na ocasião foi o meia Iarley, que deu assistência para o gol. “Com todo o respeito, acho que foi super injusta a entrega da Bola de Ouro para o Deco”, afirmou Fernandão, que acreditava que Iarley era merecedor da premiação -aquela foi a primeira vez que um jogador da equipe derrotada na decisão foi eleito como o melhor do Mundial.

A celebração de 10 anos do título, entretanto, contrasta com a atual condição do clube, rebaixado pela primeira vez para a Série B do Campeonato Brasileiro.

 

Inter x Barcelona

BARCELONA SE REDIME

Cinco anos depois, o Barcelona, que já havia derrotado o Estudiantes em 2009, se vingou da derrota para um time brasileiro no duelo contra o Santos de Neymar. Pelo placar de 4 a 0, com dois gols de Messi, o time catalão passeou sobre a equipe santista.

Na página dupla de Esporte, o título “Muito mais time” e a coluna de Juca Kfouri “Massacre em Yokohama” traduziram o que foi o confronto e como o Santos ficou sem seu terceiro mundial.

Na final, o argentino, que era o melhor jogador do mundo pela Fifa, também levou o troféu de melhor do torneio. Xavi, do Barcelona, e Neymar, do Santos, ficaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.

“Foi uma conquista saborosa contra uma equipe forte que é o Santos. Controlamos a bola todo o jogo. Estamos acostumados a fazer esse tipo de jogo. Estamos muito felizes”, declarou Messi.

Neymar conversa com Lionel Messi, após receber troféu de terceiro Melhor Jogador na premiação do mundial de clubes em Yokohama (Japão) (Foto: Ricardo Nogueira - 18.dez.2011/Folhapress)
Neymar conversa com Messi, após receber troféu de terceiro melhor jogador na premiação do Mundial de Clubes, em Yokohama (Foto: Ricardo Nogueira – 18.dez.2011/Folhapress)