Da doutrina Reagan ao futuro incerto com Trump, relembre coberturas de posses feitas pela Folha

Por Jair dos Santos Cortecertu

A democracia nos EUA é assim. Com governos republicanos na maior parte do tempo, os EUA passaram pela Guerra Fria e a corrida armamentista nos anos 1980, enfrentaram crises econômicas e, durante as décadas seguintes, impuseram sua visão de mundo e sofreram as consequências da prática de uma política externa agressiva.

Nesta sexta-feira (20), Donald Trump, do Partido Republicano, assume como o 45º presidente norte-americano. Relembre como foram as posses de seus antecessores nos últimos 36 anos.

Ronald Reagan (1981-1989)
Apesar de Ronald Reagan anunciar em seu discurso de posse um mandato focado na recuperação econômica, como informou o jornalista Paulo Francis em texto publicado na Folha, o republicano, de olho no avanço ideológico da União Soviética, aumentou os gastos militares com intervenções anticomunistas em El Salvador, Nicarágua, Líbano, Afeganistão, Angola e Granada. No seu segundo mandato, em 1986, foi revelado envolvimento de seu governo no Escândalo Irã-Contras. Negociação em que os EUA vendiam armas para o Irã em troca da libertação de reféns americanos. O lucro das operações com o Irã foi utilizado para ajudar os “contras”, rebeldes de direita que lutavam contra o governo esquerdista da Nicarágua.

George Bush (1989 – 1993)
“Sopra uma nova brisa”, disse George Bush em sua posse, referindo-se à União Soviética. Seguindo a política do antecessor Ronald Reagan, Bush afirmou que a relação com o país comunista seria baseada na vigilância. Intervenções militares também marcaram o governo de Bush pai, como operações no Panamá e a Guerra do Golfo, iniciada por uma coalizão liderada pelos EUA após a invasão do Kuait pelo Iraque.

Bill Clinton (1993 – 2001)
Alertando os cidadãos americanos de que sacrifícios seriam necessários, num discurso de 14 minutos, calcado na fala de John Kennedy de 1961, Bill Clinton misturou populismo com apelos altruístas. O governo do democrata manteve suas tropas na Somália, que passava por uma guerra civil, mas não agiu de forma efetiva para prevenir o genocídio em Ruanda. Em 1995, liderando uma força internacional, os EUA estabeleceram um acordo de paz para Bósnia, após 1.606 dias de conflitos, que deixaram mil mortos e 2 milhões de refugiados.

X

George W. Bush (2001 – 2009)
Prometendo trabalhar para construir uma nação unida e liderar o país com compaixão e caráter, o republicano George W. Bush disse que iria avançar suas convicções “com civilidade”. Seu primeiro mandato foi marcado pelos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, promovidos pela Al Qaeda, rede liderada na época por Osama Bin Laden. Após os atentados, Bush iniciou sua política de guerra ao terror. O presidente prometeu que o país iria caçar e punir os responsáveis por aqueles atos covardes. A iniciativa culminou nas invasões de Iraque e Afeganistão.

Barack Obama (2009 – 2017)
Primeiro presidente negro da história dos EUA, eleito pelo Partido Democrata, Barack Obama fez seu discurso de posse em meio a um clima de otimismo e renovação. Prometendo liderar o mundo numa nova era de responsabilidade e paz, Obama enfrentou questões internas, como graves problemas econômicos e uma onda de desemprego. Em seu mandato, o presidente democrata melhorou a economia e a imagem do país. Também teve repercussão positiva a captura do terrorista Osama Bin Laden, mas por outro lado foi criticado pela omissão dos EUA na Síria.

Colaboraram EDGAR SILVA e LUIZ CARLOS FERREIRA