OUTROS CARNAVAIS: Há 25 anos, São Paulo desfilou pela primeira vez no Anhembi

Por EDGAR SILVA

O carnaval de rua de São Paulo é itinerante. E não é pelos antigos cordões da Barra Funda e da zona leste ou pelos atuais blocos espalhados pela cidade. É pelo desfile das escolas de samba mesmo.

Em 1968, o desfile inaugural de Carnaval na capital paulista ocorreu no Vale do Anhangabaú. O prefeito Faria Lima, que instituiu o desfile e a disputa entre as agremiações nos moldes do que acontecia no Rio de Janeiro, compareceu em 25 de fevereiro daquele ano ao desfile, chegando às 21h e ficando até o final.

Com o passar dos anos e o aumento do número de integrantes das escolas, alegorias maiores e mais complexas, decidiu-se transferir os desfiles do percurso Anhangabaú, rua Direita e avenida São João e levá-los para a avenida Tiradentes (foto no alto, com ritmistas da bateria da Vai-Vai).

Em março de 1976, a Folha relatou os problemas enfrentados por quem queria ver o desfile das escolas no centro da cidade. “O empurra-empurra durante os desfiles na avenida São João próximo à praça Júlio Mesquista foi violento. Eram mulheres e crianças no meio da multidão, que gritavam aos policiais, pedindo ajuda”.

O prefeito de São Paulo, Faria Lima, ao lado do Rei Momo, confere os desfiles do Carnaval no palanque do vale do Anhangabaú. (Foto: Acervo UH – 25.fev.1968/Folhapress)

A partir de 1977, os desfiles passaram a ocorrer no novo endereço, que dava maior vazão as escolas, era próximo à marginal Tietê e à estação da Luz, e desafogava o trânsito.

Luiz Erundina, prefeita de São Paulo entre 1989 e 1993, em seu primeiro ano de mandato, chegou ao desfile na avenida Tiradentes sob vaias e gritos de “Maluf”. A razão para a desaprovação era porque a prefeita recém eleita, durante a abertura do Carnaval de 1989, fez um discurso com a promessa de construir um “sambódromo” para a cidade.

O que seriam apenas palavras de início de mandato tomaram forma com a lei 10.831/90, na qual desfiles e eventos carnavalescos passariam a ser de geridos pela prefeitura. Com isso se materializava a construção do sambódromo, que começaria a ser construído no final de 1990.

Em 1991, Erundina inaugurava o Anhembi e o local, apesar de parcialmente pronto, recebia o primeiro desfile. Alberto Alves da Silva (1921-2010), conhecido como seu Nenê, até ironizou a rapidez com que a obra foi entregue. “O local é ideal para o samba. Se chover, vamos enfrentar os mesmos problemas de alagamento de pista que tínhamos na avenida Tiradentes.”

Camisa Verde e Branco e Rosas de Ouro dividiram o título do Carnaval disputado pela primeira vez no Anhembi –que completa 25 anos de desfiles.

Carro alegórico durante o desfile da escola de samba Camisa Verde e Branco, no sambódromo de Anhembi. (Foto: Sérgio Andrade – 10.fev.1991/Folhapress)