OUTROS CARNAVAIS Em evento organizado por Doria, SP conheceu seu primeiro Rei Momo negro

Por Cristiano Cipriano Pombo

Elso Gomes da Silva e Henrique Felipe da Costa (1908-1984), o Henricão (foto no alto), têm algo em comum.

Um em São Paulo, outro no Rio Janeiro, cada um deles entrou para a história do Carnaval por se tornarem os primeiros Reis Momos negros.

Recorte da Folha de 1º de novembro de 1972, sobre a vitória de Elso Gomes da Silva no Rio (Crédito: Folhapress)

O feito de Silva foi alcançado em 1972, quando, em meio a mais de uma tonelada de candidatos -o mais esbelto pesava 106 kg- foi aclamado Rei Momo do Rio de Janeiro.
Na ocasião,  Silva, que era sargento da Polícia Militar e tinha 29 anos, além de pesar 109 kg, rompeu outro tabu. Até então o rei do Carnaval não tinha ligação com escolas de samba. Silva tornou-se assim o primeiro sambista com a honraria, já que era ligado há oito anos ao Salgueiro.

 

A competição envolveu testes de sociabilidade, desembaraço, facilidade de expressão e, como não podia deixar de ser, o espírito carnavalesco. O concurso na Associação dos Cronistas Carnavalescos, envolveu até as perguntas “Como você reagiria se fosse barrado, como Rei Momo, na porta de um clube?” e “Por que você se candidatou?”.

Como a Folha relatou, a vitória de Elso tornou uma segunda-feira, 30 de outubro, em um “autêntico sábado” festeiro.

LONGEVIDADE

Já o feito de Henricão, como era conhecido o compositor de “A Casa de Marambaia” e da versão “Está Chegando a Hora”, foi ter se tornado o primeiro Rei Momo negro no Carnaval paulistano, em 17 de janeiro de 1984, aos 76 anos.

E a eleição de Henrique Felipe da Costa ficou marcada por um júri formado pela Paulistur (Empresa de Turismo do Estado de SP) e pela Uesp (União das Escolas de Samba Paulistanas, organizadoras do evento, que tinha o então prefeito Mário Covas, o ator Raul Cortez, o apresentador Goulart de Andrade, o costureiro Ney Galvão e o apresentador Gugu Liberato.

Como informou reportagem sobre o concurso, a Paulistur, então dirigida então por João Doria, teve de dividir os candidatos a três dezenas de concorrente. Motivo: o palco do Garitão Danças não suportava mais de dez gordinhos juntos.

Avaliados em peso, comunicação, animação e simpatia, os concorrentes viram Henricão se sobressair entre os 30 candidatos, que somavam juntos cerca de quatro toneladas.

Como relatou o repórter Miguel de Oliveira, Henricão foi certeiro em suas respostas. Ao ser indagado “Por que você resolveu se candidatar?” , respondeu: “Porque tenho 54 anos de Carnaval”. “E o que você fará?” “Falarei com os dirigentes das escolas de samba para colocarem Mobral nas suas quadras. Educação é importante.”

Ao ser anunciado vencedor, Henricão, 130 kg, caminhou, como se voasse, levado pela ovação de 3.000 pessoas.