OUTROS CARNAVAIS: Máscaras de políticos e personalidades fazem a cabeça dos foliões

Por Luiz Carlos Ferreira

A cada ano o Carnaval desafia a criatividade dos produtores de máscaras. Mas um tema recorrente são as máscaras de políticos brasileiros e estrangeiros.

Neste ano, a máscara do atual presidente dos EUA, Donald Trump, foi umas das mais procuradas, tal como as fantasias de presidiários, similares aos uniformes vestidos pelo empresário Eike Batista e pelo ex-governador Sérgio Cabral.

O uso de máscaras, contudo, nem sempre foi usado como protesto em meio ao Carnaval. Figuras como o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa e o ex-presidente dos EUA Barack Obama também inspiraram os foliões.

Confira outras personalidades políticas que tiveram suas faces reproduzidas em outros carnavais:

Lula

Às vésperas das eleições presidenciais de 2006, que reelegeu Lula como presidente da República, as máscaras do candidato petista venderam cerca de 30 mil unidades.

Tiririca

No carnaval de 2011, após ser eleito deputado federal pelo PR-SP, o palhaço Tiririca se torna o rei das máscaras de Carnaval. A um mês dos festejos, a caricatura do deputado e humorista era a mais vendida na rua 25 de março, no centro de São Paulo. “Estou surpreso e muito feliz, não esperava ser o campeão do Carnaval com esse carinho todo do povo”, disse Tiririca à Folha.

Lava Jato

Com os grandes escândalos de corrupção vindos à tona com a Operação Lava Jato , máscaras reproduzindo políticos se tornaram cada vez mais presentes na folia. Dos personagens mais destacados figuram Eduardo Cunha, Dilma Roussef, Delcídio Amaral e Aécio Neves, entre outros.

Cerveró

No final de janeiro de 2015, Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras envolvido em delações da Lava Jato, por intermédio de seu advogado, Edson Ribeiro, proibiu a fábrica Condal, do Rio, de confeccionar o adereço com a sua face. “Ele disse que se eu fizesse, iria me processar”, afirmou à Folha a proprietária da fábrica, Olga Valles.

Japonês da Federal

Em 2016, outro personagem ligado à operação Lava Jato que se transformou em máscara foi o ‘Japonês da Federal’, Newton Ishii, também fabricada pela Codal.