Há 75 anos, nascia Aretha Franklin, rainha do soul

Aretha Franklin, que completa 75 anos neste sábado (25), nasceu em Memphis, no Estado do Tennessee, em 1942. Filha do pregador Clarence LaVaughn e da cantora gospel Barbara Siggers, Aretha foi criada em Detroit, no Michigan, para onde se mudou ainda na infância com a família.

Seu pai foi um dos organizadores da Marcha da Liberdade em favor dos direitos civis ao lado de Martin Luther King, realizada 1963, em Detroit.

Precoce, Aretha Franklin tornou-se mãe pela primeira vez aos 14 anos, em 1956, mesmo ano em que gravou o seu primeiro álbum, “Songs of Faith”, inteiramente dedicado ao gospel. A cantora, que já passou por três casamentos, tem quatro filhos.

Casa onde Aretha Franklin passou os primeiros anos de infância, em Memphis, Tennessee (Foto: 16.jan.2017 – AP/ Mark Humphrey)

Em 1961, aos 19 anos, já em Nova York, onde tentava conquistar o seu espaço como cantora popular, Aretha assina contrato com a Columbia Records, onde trabalhava o renomado produtor John Hammond. “Deus, é a voz mais bonita desde Billie Holiday”, avaliou Hammond ao ouvir a mais nova promessa da gravadora.

Embora na Columbia Aretha tivesse emplacado interpretações como “Today I Sing The Blues”, Cry Like a Baby” e “Dixie Melody”, ela não se sentia realizada com a predominância do jazz induzida pela gravadora em sua carreira. Mesmo sendo eterna amante da vertente, seu desejo era ser uma cantora de soul e rhythm & blues. Com o passar dos anos, as divergências a levaram em 1966 ao fim da relação com a Columbia, onde produziu 12 álbuns.

A fase de maior êxito de Aretha, porém, teve início em 1967, com sua ida para a Atlantic Records, onde permaneceu por longos 12 anos, deixando um legado de 19 discos.

Cantora Aretha Franklin em  1960 ( Foto: Divulgação)

Em seu primeiro ano de Atlantic, Aretha logo se destacou com a vigorosa interpretação de “Respect (Otis Redding)”, do álbum “I Never Loved a Man the Way I Love You”, que além de entrar para a primeira posição do gênero Soul nas paradas americanas, se tornou uma das principais trilhas sonoras dos direitos civis e do feminismo nos EUA.

Na sequência vieram, entre outros, os clássicos  “(You Make Me Feel Like) A Natural Woman”, “Chains of Fools”, “I Say a Little Prayer For You” e “Spanish Harlem”.

No mesmo ano, no Regal Theatre de Chicago, Aretha, com 25 anos e em seu 11º álbum, foi coroada pelo DJ Pervis Spann como a “Rainha do Soul”, título que desde então passou a acompanhar a diva em sua trajetória.

No ano de 1972 a cantora gravou o disco gospel “Amazing Grace”, um registro de suas apresentações na New Temple Missionary Church, em Los Angeles (EUA). Considerado o seu melhor trabalho do estilo, o álbum vendeu dois milhões de cópias, se tornando o LP gospel mais bem sucedido da história. Há dois anos a cantora impediu judicialmente a exibição em festivais nos EUA e no Canadá do documentário homônimo com imagens das apresentações. Aretha Franklin argumentou haver falha na sincronização entre os áudios e as imagens do filme.

Em 1980 a cantora firma contrato com a gravadora Arista, dirigida pelo talentoso Clive Davis, onde, logo de cara impressiona com as músicas “United Together” e “I Can’t Turn You Loose”. No mesmo ano atuou no filme “Os Irmão Cara de Pau”, do diretor John Lands, que ganhou uma segunda parte em 1998, também com a participação da diva.

Ainda na Arista, em 1987, com George Michael – morto no ano passado-, emplaca um de seus maiores sucessos, “I Knew You Were Waiting (For Me)”. Naquele ano a cantora passa a ser conhecida também como a primeira mulher a entrar para o Rock and Roll Hall of Fame.

Aretha Franklin no aniversário de 70 anos, com amigos e familiares (Foto: Charles Sykes – 25.mar.2012/AP Photo)

As experimentações com o hip-hop, misturadas ao jazz e à ópera, vieram em 1998, com o álbum “A Rose Is Still a Rose”, produzido pela cantora Lauren Hill e considerado o grande trabalho de Aretha na década.

Após sua saída da Arista, em 2004, Aretha lançou seu próprio selo, a Aretha’s Records. No mesmo ano a Revista Rolling Stone elegeu o seu primeiro grande sucesso, “Respect”, como a quinta maior música de todos os tempos. A canção foi tema de documentário exibido naquele ano pelo canal pago GNT.

No final de 2010, depois de ter passado por uma cirurgia, a imprensa divulgou que Aretha Franklin estava com câncer no pâncreas, fato confirmado por um familiar da cantora. No entanto outras pessoas próximas a ela não quiseram comentar o assunto. No ano seguinte Aretha lançou o disco “A Woman Falling Out of Love”.

Há pouco menos de três anos, em 2014, a cantora gravou pela Warner “Aretha Franklin Sings The Great Diva Classics”, onde interpreta músicas que fizeram sucesso nas vozes de Alicia Keys, Sinéad O’ Connor, Adele e Gloria Gaynor, entre outras. Uma crítica sobre a álbum foi publicada na Folha na ocasião de lançamento do disco.

Em dezembro de 2015, no Kennedy Center Honors, em Washington D.C., Aretha Franklin emocionou o então presidente americano Barack Obama ao interpretar “(You Make Me Feel Like) A Natural Woman”, em cerimônia que homenageou a co-autora da canção, Carole King, que também esteve no evento.

Com 46 discos lançados e 18 Grammys Awards, perdendo apenas para a cantora Beyoncé, que faturou 20 prêmios, Aretha Franklin não esperou a comemoração de seus 75 anos para anunciar, em fevereiro desde ano, sua aposentadoria. “ Eu devo dizer que estou muito satisfeita da trajetória da minha carreira. Eu não vou ficar sentada sem fazer nada. Isso também não seria nem um pouco bom”, comentou a diva.