Há 50 anos: Veja o que foi notícia na Folha nos dias 14, 15 e 16 de abril de 1967

Por Banco de Dados

Nos dias 14, 15 e 16 de abril, os estudantes de medicina da USP (Universidade de São Paulo) e a explosão de uma bomba numa estação de trem da zona leste de São Paulo foram os destaques da Folha.

Estudantes da Medicina da USP param contra aluno ‘excedente’

Os estudantes da Faculdade de Medicina da USP decidiram nesta quinta (13) entrar em greve por tempo indeterminado.
Após quatro horas de reunião, os alunos optaram pela paralisação, em protesto contra a matrícula do estudante Vanderlei Baena dos Santos, por meio de liminar, e devido ao que chamaram de “manobra do governo”, que faz uso político dos excedentes (alunos que passaram no vestibular, mas ficaram sem vaga).
Para os estudantes, o recurso para a matrícula de Wanderley foi “injusto”, já que ele não era excedente, por já ter se matriculado em outra faculdade (veterinária).

Greve de universitários da USP ganha adesão e novos motivos

A greve na USP ampliou-se. Além da Faculdade de Medicina e da Escola de Farmácia e Bioquímica, a Escola Paulista de Medicina e o Curso de Geografia da Faculdade de Filosofia aderiram à paralisação.
Novos motivos foram alegados para o movimento dos universitários, como a precariedade das instalações para ensino e pesquisa, mas a principal razão é impedir a admissão de excedentes (estudante que passou no vestibular, mas ficou sem vaga).
Nesta sexta (14), mais 34 alunos conseguiram, como Vanderlei Baena dos Santos na medicina, fazer matrícula na USP mediante liminar.

Bomba explode em estação de trem da zona leste de São Paulo

A explosão de uma bomba de fabricação caseira na madrugada deste sábado (15), na Estação Ferroviária Central do Brasil, na Vila Matilde (zona leste de São Paulo), destruiu o forro, a cabine de controle e o guichê de vendas de passagens.
De acordo com funcionários da estação, havia poucas pessoas no momento da explosão e nada de anormal foi notado antes do estampido, registrado por volta das 2h30.
Nas investigações preliminares, a polícia sugeriu que pode se tratar de ato de sabotagem. Fragmentos do petardo foram recolhidos e enviados à Polícia Técnica para que seja feita a perícia.