Há 20 anos, supercomputador derrotou o campeão mundial do xadrez Garry Kasparov

Por Luiz Carlos Ferreira

Hoje completam-se duas décadas da memorável disputa entre o então número 1 do xadrez, o russo Garry Kasparov, e o computador Deep Blue, da IBM, que em 11 de maio de 1997 entrava para a história como a primeira máquina a derrotar um campeão mundial da modalidade.

Era o segundo confronto entre Kasparov e o Deep Blue. Em fevereiro de 1996, o lendário enxadrista faturou US$ 400 mil ao derrotar a máquina por 4 a 2 numa série de seis jogos disputados na Filadélfia (EUA).

Sete anos antes, em 1989, em jogo promovido pela Sociedade Britânica de Xadrez, em Londres, Kasparov já havia tido sua primeira experiência contra uma máquina ao vencer com tranquilidade o Deep Thought, antecessor do Deep Blue.

Campeão do mundo e número 1 no ranking do xadrez desde 1985, quando, aos 22 anos, tornou-se o mais jovem campeão mundial da história após vencer outro grande nome –o compatriota Anatoli Karpov–, Kasparov, considerado o grande gênio do xadrez, só perdeu a hegemonia 15 anos depois, em novembro de 2000, em embate em Londres com o também russo Vladimir Kramnik, de 25 anos.

Garry Kasparov joga contra o computador Deep Blue, da IBM, na Filadélfia, em fevereiro de 1996 (Foto: George Widman – 13.fev.1996/AP Photo)

A GRANDE REVANCHE

Organizada pela IBM, uma das gigantes em tecnologia no mundo, a disputa de 1997 foi dividida também em seis partidas, todas realizadas num auditório de 490 lugares num edifício comercial perto da Broadway, em Nova York, com ingressos de US$ 25 e premiação de US$ 700 mil.

Batizado em fevereiro de 1993, o Deep Blue foi resultado de 12 anos de pesquisa da IBM. Além de memorizar todas as jogadas do adversário, o computador era capaz de calcular até 250 milhões de jogadas por segundo.

O enfrentamento entre a máquina e o humano foi o evento de xadrez de maior repercussão desde a antológica vitória do americano Robert Fischer sobre o russo Boris Spassky, em Reykjavik (Islândia), em 1972, que colocou os EUA à frente dos russos durante três anos. Segundo a organização, cerca de 22 milhões de pessoas acompanharam as disputas pela internet.

Garry Kasparov em duelo em Nova York contra o computador Deep Blue, da IBM, em maio de 1997 (Foto: mai.1997 – Peter Morgan/REUTERS)

O jogo de estreia, com cerca de quatro horas de duração, ocorreu em 3 de maio, com vitória de Kasparov. No dia seguinte, na segunda partida, o Deep Blue conseguiu o empate, deixando a disputa em 1 a 1. Nos três jogos seguintes, disputados nos dias 6, 8 e 10 de maio, houve empate entre os adversários.

Após a terceira partida, no dia 6, Kasparov  e seus assessores insinuaram interferência humana por parte da IBM no segundo confronto da série. “Quem conhece xadrez ou um pouco de computadores sabe que houve uma diferença no segundo jogo do Deep Blue. Não parecia o mesmo do primeiro ou do terceiro jogo”, manifestou o campeão.

Um dos pesquisadores da IBM, Chung jen Tan, em entrevista exclusiva à Folha rebateu as declarações de Kasparov ao dizer que a “manha” do computador teria sido a razão do descontrole e nervosismo mostrado pelo campeão a partir do segundo embate. “Em algumas ocasiões ele [o Deep Blue] pode retardar jogadas e fazer cálculos repetitivos para irritar o adversário”, afirmou.

A MÁQUINA VENCE O HOMEM

Em 11 de maio, na etapa final, o Deep Blue sagrou-se campeão em cima do grande mestre humano, numa vitória confirmada em apenas 19 lances. O feito fez as ações da IBM subirem 3,6 pontos em Wall Street (EUA).

A empresa cogitou um terceiro round ao adversário, mas, para um novo confronto, Kasparov fez algumas exigências: que a IBM não fosse patrocinadora do evento, que houvesse pelo menos 10 partidas num período de 20 dias e também que ele tivesse acesso a todos os jogos armazenados pela máquina, o que não ocorreu.

Em setembro de 1997, seis meses após ter vencido o maior nome da história do xadrez, o Deep Blue foi aposentado pela IBM, que aproveitou sua tecnologia para outros fins. Já o eterno campeão mundial dos tabuleiros, Kasparov, que em 2003 chegou a empatar com outros dois computadores em partidas de exibições, aposentou-se em 2005, aos 41 anos.

Ativista político desde 1984, quando se filiou ao Partido Comunista da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), Kasparov pôde dedicar mais tempo à política. Ferrenho opositor do governo de Vladimir Putin, em 2008 chegou a ser preso em protesto contra o presidente russo.