Igreja Universal faz 40 anos; relembre reportagem que rendeu 111 processos contra Folha e jornalista

Por Alberto Nogueira

A Igreja Universal do Reino de Deus completa 40 anos neste domingo (9).

Fundado pelo bispo Edir Macedo com o nome de Igreja da Bênção –dois anos mais tarde virou Universal–, o primeiro templo estava abrigado em um antigo galpão de uma funerária, no bairro da Abolição, na zona norte do Rio. E o primeiro culto no local recebeu pouco mais de 200 pessoas.

Hoje, a igreja evangélica de Edir Macedo possui mais de seis mil de unidades, espalhadas pelo Brasil e outras centenas de países. Além disso, o bispo, dono de uma fortuna estimada em US$ 1,1 bilhão, segundo a revista “Forbes”, possui negócios diversificados, como a TV Record.

Em 2007, ano em que a Universal completou três décadas de sua fundação, a reportagem da Folha “Universal chega aos 30 anos com império empresarial”, escrita pela jornalista Elvira Lobato, mostrou uma enorme rede de empresas ligadas à igreja.

Vencedora do Prêmio Esso de Jornalismo, Elvira Lobato foi alvo de mais de cem processos em todo o país pela cobertura feita, que a levou a uma aposentadoria temporária de três anos, devido aos deslocamentos necessários para se defender.

“Encaro esta premiação como um desagravo. A reação de fiéis e pastores foi uma coisa muito violenta, uma tentativa de calar a imprensa, de intimidar. Essa tática não pode sobreviver. Dedico o prêmio a todos os jornalistas, para quem o oxigênio da profissão é a liberdade de imprensa”, disse a jornalista ao receber o Esso, em 2008.

A onda de ações na Justiça contra a funcionária e a própria Folha fez com que o jornal publicasse em 19 de fevereiro de 2008 editorial na Primeira Página intitulado “Intimidação e má-fé”.

O artigo motivou um pedido de indenização movido pela Igreja Universal do Reino de Deus. No entanto, a 6ª Câmara de Direito Privado de São Paulo, em 2012, julgou o requerimento, por unanimidade, como improcedente.

De um total de 111 ações –em quatro delas o jornal nem foi citado–, a Folha venceu 106. Nas outras cinco houve desistência das pessoas que as ajuizaram –uma delas ainda está ativa, esperando o juiz homologar a desistência.

Clique aqui no link para ver a reportagem premiada da jornalista, que trabalhou na Folha durante 27 anos, até 2011.