Há 5 anos, morria Hebe Camargo, pioneira da TV

Por Alberto Nogueira

Hebe Camargo tinha 83 anos e um contrato recém-firmado com o SBT quando, em 29 de setembro de 2012, morreu devido a uma parada cardíaca enquanto dormia em sua casa, no Morumbi (zona oeste de São Paulo). Era interrompida a trajetória da apresentadora mais longeva da TV no Brasil.

Antes de ser conhecida como a rainha da TV brasileira, a jovem morena –virou loira só depois– nascida em Taubaté (SP), em 8 de março de 1929, fez fama como cantora no rádio, no início dos anos 1940.

A carreira de Hebe no setor estava em ascensão. Ela havia vencido programas de calouros, gravado um LP, formado dupla com Mazzaropi na rádio Tupi e virado apresentadora do programa “Encontro Musical”, da rádio Nacional. Mas sua ligação com a televisão foi embrionária.

Em 1950, aos 21 anos, a cantora estava ao lado de Assis Chateaubriand, no porto de Santos, aguardando a chegada dos primeiros aparelhos de TV ao país.

Convidada para cantar na transmissão inaugural, Hebe faltou ao evento para namorar. Então, acabou sendo substituída por Lolita Rodrigues.

X

Após algumas aparições na telinha, estreou como apresentadora do programa “O Mundo é das Mulheres”. A pioneira atração exclusiva às mulheres foi sucesso absoluto.

Na década seguinte, estreou no “Hebe Camargo”, na Record, com o cantor Roberto Carlos como seu primeiro convidado.

Outro fato que corrobora a ligação de Hebe com o desenvolvimento da TV brasileira é que o seu programa foi o escolhido para estrear as transmissões em cores na emissora, em 1973.

A apresentadora, com sua gargalhada marcante e seu jeito de chamar os entrevistados de “gracinha”, cativou a todos. A atriz americana Joan Crowford, uma das maiores da história de Hollywood, chegou a elogiar em mensagem a condução de sua entrevista.

Líder de audiência por muito tempo, a artista aceitou proposta de Silvio Santos para levar a mesma fórmula de entrevistas no sofá ao SBT. A atração, agora chamada apenas de “Hebe”, estreou em 1986.

Hebe permaneceu no canal por 25 anos. Lá deixou outra de suas marcas registradas: o famoso selinho nos convidados.

X

Seu sucesso e sua importância para a TV chegaram a ser reconhecidos pela rival Globo, em homenagem no programa do “Domingão no Faustão”.

O desgaste com o patrão Silvio Santos pelas trocas constantes de horário de seu programa –insatisfação que ela tornou pública– e a proposta de redução salarial feita por ele facilitaram sua ida à RedeTV!, em 2011.

Um ano antes, a apresentadora já havia sido diagnosticada com um câncer no peritônio. Após cirurgia e quimioterapia, sua assessoria afirmou que ela estava curada.

Mas em 2012, ano de sua morte, voltou a ser internada por causa de um tumor no intestino e, depois, para a retirada da vesícula.

Em 17 de setembro, rescindiu contrato com a emissora. Alguns dias depois, assinou com o SBT, mas não pode nem começar a fazer o que mais gostava. “Gostaria de morrer no ar. Sei lá, falar no microfone e depois, puf, cair”, disse no surgimento do câncer, em 2010.

No dia 29 de setembro de 2012, Hebe Camargo, que era viúva de Lélio Ravagnani, deixou o filho Marcelo, fruto do primeiro casamento, com o empresário Decio Capuano.

Sua morte repercutiu em todos os veículos de comunicação, com cobertura de seu velório e enterro e diversas homenagens, principalmente de ex-colegas e outras personalidades.

 

DEPOIMENTOS DADOS À FOLHA EM 2012

 

“Milhares de fãs em todo o Brasil perdem a alegria de Hebe. Neste momento de dor e tristeza, quero me solidarizar com sua família, seus amigos e todos os telespectadores brasileiros.”

Dilma Rousseff, presidente da República

 

“Fica a lembrança de uma vencedora, que conduziu a vida como queria.”

Marta Suplicy, ministra da Cultura

 

“Hebe era sinônimo da  alegria de viver.”

Sérgio Cabral, governador do Rio de Janeiro

 

“Uma guerreira que manteve o alto astral até o final.”

Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo

 

“Sua alegria ficará para sempre na nossa memória.”

Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente

 

“Exemplo de coragem e ética no exercício do jornalismo.”

Paulo Maluf, deputado federal

 

“A grande dama da TV brasileira. Chiquérrima, linda  e divertida, ainda cantava bem. Ela é história.”

Boninho, diretor da TV Globo

 

“Hebe sai de cena deixando muitos espaços vagos. Na TV, no panteão dos grandes ídolos, no dia a dia de sua família, no cotidiano e na noite paulistana e no coração dos amigos que partilharam de sua alegria e foram iluminados por  sua luz.”

Lucilia Diniz, empresária

 

“É uma tristeza muito grande, ela era uma amiga e um ícone da nossa TV.”

Jô Soares, apresentador

 

“Tenho certeza de que todo mundo que conviveu um pouco com ela se apaixonou!”

Ticiane Pinheiro, apresentadora de TV

 

“A gente não consegue acreditar que alguém com aquele jeito de encarar a vida  tenha nos deixado.”

Ana Maria Braga, apresentadora de TV

 

“Ela não combina com a morte. É muito mais que a diva que todos conhecem.”

Adriane Galisteu, apresentadora de TV

 

“Que bom que fica o legado que ela começou.”

Luciana Gimenez, apresentadora de TV

 

“Ela sempre me deu muitos conselhos, foi uma mãe.”

Eliana, apresentadora de TV

 

“Era uma mulher maravilhosa, positiva. Com certeza vai deixar saudades no coração de muitos brasileiros.”

Roberto Carlos, cantor

 

“Amei e sempre amarei aqueles olhos tão cheios de amor e de energia. Hebe, sua viagem vai levá-la para conhecer uma nova vida, tão bonita como você.”

Laura Pausini, cantora

 

“Nós ríamos bastante juntas. Ela foi uma pessoa tão bacana, tão alegre que a gente não pode nem chorar.”

Inezita Barroso, apresentadora de TV e cantora

 

“Alguém aí duvida de que ela chegou ao céu e deu um selinho no homem lá de cima?”

Aguinaldo Silva, autor de telenovelas

 

“Hebe é a própria história da TV brasileira. Uma unanimidade em todas as emissoras. Aonde ela ia, irradiava uns dez metros de alegria.”

Renato Aragão, humorista

 

“Ela é imortal. Foi um pedaço de mim, minha amiga, exemplo não apenas de profissional, mas de pessoa.”

Glória Maria, jornalista

 

“Hebe não merecia tristeza, só felicidade. Ela só trazia coisas boas às pessoas.”

Betty Faria, atriz

 

“Tinha uma grande alegria de viver e procurava espalhar esse prazer pela vida para a humanidade.”

Vida Alves, atriz

 

“Era uma mulher que tinha um poder incrível.”

Ruth de Souza, atriz

 

“Nunca dei um selinho na Hebe. O nosso beijo era de coração. Não vou conseguir falar dela no passado. Ela vai estar sempre presente.”

Carlos Alberto de Nóbrega, humorista

 

“Hebe quebra a máxima de que ninguém é insubstituível. Uma pessoa que conseguiu sobreviver à história e se renovou a cada passagem do tempo.”

Tom Cavalcante,  humorista

 

X