Há 50 anos, festival da TV Record deu novos rumos à MPB; ouça e relembre as principais músicas

Por Luiz Carlos Ferreira

Hoje completam-se 50 anos da grande finalíssima do 3° Festival de Música Popular Brasileira da TV Record, que sagrou “Ponteio”, de Edu Lobo e Capinan, como a grande campeã entre as 12 finalistas apresentadas na noite de 21 de outubro de 1967 no Teatro Paramound, na rua da Consolação, no centro de São Paulo.

Sob o comando de Paulinho Machado de Carvalho (1924-2010) –diretor artístico da TV Record– e direção de Solano Ribeiro, o concurso foi dividido em três eliminatórias, disputadas em 30 de setembro e 6 e 14 de outubro. Para cada fase, quatro músicas foram selecionadas para a grande final.

A plateia eufórica de pouco mais de 2.000 pessoas foi um show à parte na festa. Vaias ensurdecedoras mescladas a vigorosos aplausos tiveram o seu protagonismo no mais importante festival da emissora, principalmente pela influência que tiveram na desclassificação do compositor e intérprete Sérgio Ricardo, autor da finalista “Beto Bom de Bola”, que, não suportando os apupos estrondosos do público, lançou seu violão sobre o auditório, que se mostrou atônito com a reação do músico.

X

No corpo de jurados, composto por 15 personalidades, figuraram nomes como o humorista Chico Anysio (1931-2012), o maestro Júlio Medaglia, o poeta Ferreira Gullar (1930-2016), o crítico de música Sérgio Cabral (pai) e o jornalista Salomão Schwartzman, dentre outros.    

Cotado na história da MPB como o mais expressivo e inovador dos musicais televisivos produzidos no país, o festival de 67 marcou pela mistura de vertentes e estilos, que transitavam entre a moda de viola, o samba e o experimentalismo musical de dois jovens baianos: Gilberto Gil e Caetano Veloso –eles, com suas respectivas “Domingo no Parque” (2º lugar) e “Alegria, Alegria” (4º lugar), reafirmaram o movimento tropicalista ao impulsionar a luta pela inserção de novas propostas comportamentais e artísticas no festival.

Na ala dos estreantes, que atuaram como compositores no festival, estavam Martinho da Vila, Toquinho e Renato Teixeira, que anos mais tarde se tornaram fundamentais para historiografia musical no país.

O festival, porém, não se limitou apenas aos novatos. Astros da Bossa Nova como Roberto Menescal e Johnny Alf, embora não tivessem tido suas composições classificadas, também deixaram suas marcas na festa.

Veteranos como o “chorão” Pixinguinha e o ator e compositor Mário Lago também atuaram como compositores no festival. O pré-Jovem Guarda Demetrius e seus discípulos Erasmo Carlos e Roberto Carlos, que também participaram das eliminatórias, deixaram de lado suas canções de amor para interpretar outros caminhos sonoros. Dos três, apenas Roberto foi classificado, com “Maria, carnaval e cinzas, de Luís Carlos Paraná, que, apesar de muito vaiada pela plateia, faturou o 5° lugar na final.

Colaborou EDMIR FARIAS

 

 

Veja abaixo a ficha técnica com os concorrentes e os classificados do 3º  Festival de Música Popular Brasileira da TV Record:

1ª ELIMINATÓRIA – Sábado, 30/11/1967

“O Combatente” (Walter Satos e Tereza Sousa) – com Jair Rodrigues

“Dadá Maria” (Renato Teixeira) –  com Gal Costa e Sílvio César

“É Fim” (Sonia Rosa) – com Sonia Rosa

“Roda Viva” (Chico Buarque de Hollanda) – com Chico Buarque e MPB 4

“A Moreninha” (Tom Zé) – com Djalma Dias

“Ponteio” (Edu Lobo e Capinan) – com Edu Lobo e Marília Medalha

“Eu e a Brisa” (Johnny Alf) – com Márcia

“Minha Gente” (Demetrius) – com Demetrius

“Ela, Felicidade” (Vera Brasil) – com Claudete Soares

“O Milagre” (Nonato Buzar) – com Wilson Simonal

“Maria, Carnaval de Cinzas” (Luís Carlos Paraná) – com Roberto Carlos e O Grupo

“Bom Dia” (Nana Caymmi e Gilberto Gil) – com Nana Caymmi

CLASSIFICADAS:

“Roda Viva”

“Ponteio”

“Maria, Carnaval de Cinzas”

“Bom Dia”

 

2ª ELIMINATÓRIA – Sexta-feira, 06/10/1967

“Rua Antiga”  (Roberto Menescal e Rubens Richter) – O Quarteto

“Brinquedo”  (Alfredo Noffah Neto e Walter de Carvalho) – Claudete Soares

“Belinha”  (Toquinho e Victor Martins) – com Wilson Simonal

“Por Causa de Maria”  ( Marcos César e Paulo Scarpa) – com Sílvio César e Os Titulares do Samba

“Domingo no Parque”  (Gilberto Gil) – com Gilberto Gil e Os Mutantes

“Uma dúzia de Rosas”  (Carlos Imperial) – com Ronnie Von

“Manhã de Primavera”  (Adilson Godoy) – com Adilson Godoy e os Golden Boys

“Cantiga de Jesuíno”  (Capiba e Ariano Suassuna) – com De Kalaffe

“Diana pastora”  (Fernando Lobo e joão Mello) – com Marília Medalha e Momento Quatro

“O Cantador”  (Dori Caymmi e Nelson Motta) – com Elis Regina

“A Estrada e o Violeiro”  (Sidney Miller) – com Sidney Miller e Nara leão

“Samba de Maria”  (Francis Hime e Vinicius de Moraes) – com Jair Rodrigues

CLASSIFICADAS

“Domingo no Parque”

“O Cantador”

“A Estrada e o Violeiro”

“Samba de Maria”

 

3ª ELIMINATÓRIA – Sábado, 14/10/1967

“Ventania” (Geraldo Vandré e Hilton Acioly) – com Geraldo Vandré

“Balada do Vietnam” (Elizete Sanches e David Nasser – com Wilson Simonal

“Anda Que Te Anda” (Ary Toledo e Mário Lago) – com Agnaldo rayol

“Gabriela” (Francisco Fuzzetti) – com MPB 4

“Isso Não Se Faz” (Pinxinguinha e Hermínio Bello de Carvalho) – com Elza Soares

“Menina Moça” (Martinho da Vila) – com Jamelão

“Beto Bom de Bola” (Sérgio Ricardo) – com Sérgio Ricardo

“Canção do Cangaceiro” (Carlos Castilho e Chico de Assis) – com Maria Odete

“Capoeira” (Erasmo Carlos) – com Erasmo Carlos

“Festa no Terreiro de Alaketu” (Antônio Carlos Marques Pinto) – Maria Creusa

“Volta Amanhã (Fernando César e Mário Brito) – com Hebe Camargo

“Alegria , Alegria” (Caetano Veloso) – com Caetano Veloso e Os Beat Boys

CLASSIFICADAS

“Ventania”

“Gabriela”

 

 

“Beto Bom de Bola”

“Alegria, Alegria”

FINAL – 21,10/1967

VENCEDORAS

1º – “Ponteio

2º – “Domingo no Parque

3º – “Roda Viva”

4º – “Alegria, Alegria”

5º – “Maria, Carnaval de Cinzas”

6º – “Gabriela”

 

OUTROS PRÊMIOS:

Melhor arranjo – Rogério Duprat em “Domingo no Parque”

Melhor letra – Sidney Miller em “A Estrada e o Violeiro”

Melhor intérprete – Elis Regina em “O Cantador”