Há 120 anos, grupo de estudantes fundou a Juventus, maior vencedora no futebol italiano

Por Rodolfo Stipp Martino

Quando o goleiro Gianluigi Buffon e seus companheiros de Juventus chegarem ao estádio Allianz, de Turim, para a partida contra o Benevento, no próximo domingo (dia 5), vão encontrar um clima especial.

A arena da equipe deverá estar lotada, com mais de 40 mil torcedores –os ingressos estão esgotados desde o dia 23 de outubro. Desta vez, o motivo da mobilização não será, apenas, apoiar a equipe para tentar mais uma vitória. Mas, sim, celebrar uma história que começou em 1º de novembro de 1897.

Naquele dia, há 120 anos, uma turma de estudantes em Turim decidiu fundar um clube para praticar futebol. O novo esporte, que vinha da Inglaterra, havia encantado o grupo de amigos. Como o mais velho da turma não tinha mais que 17 anos, eles optaram por uma palavra em latim que significava juventude para batizar a nova equipe: Juventus.

A camisa do time era cor-de-rosa e só mudou para o alvinegro em 1903. O novo modelo foi inspirado no  clube inglês Notts County (as duas equipes fizeram, em 2011, um amistoso para inaugurar o novo estádio do time italiano).

A primeira conquista do campeonato nacional pela Juventus não demorou muito. Veio em 1905. Depois, só voltou a vencer o torneio em 1926. A partir de então, os triunfos se tornam mais frequentes, e a equipe é hoje a maior vencedora da competição.

São 33 títulos reconhecidos, mas o clube conta como se fossem 35. Essa diferença se deve ao fato de a equipe ter perdido dois títulos, o de 2005 e o de 2006, fora de campo. O time foi punido por causa do escândalo de manipulação de resultados, teve as taças destituídas e foi rebaixado para a Série B.

Os outros times mais vitoriosos são Inter e Milan, cada um com 18 troféus.

Após o baque da punição e a queda para a segunda divisão, a equipe de Turim se recuperou e desde 2012 não parou mais de vencer o Italiano (são seis títulos seguidos).

A Juventus conquistou por duas vezes a Liga dos Campeões da Europa, em 1996, contra o Ajax na final (4 a 2 nos pênaltis, após empate por 1 a 1), e em 1985, contra o Liverpool (1 a 0, em jogo marcado pela morte de 39 torcedores).

Nesses dois anos, a equipe também faturou o Mundial interclubes, batendo o River Plate em 1996 e o Argentino Juniors em 1985. Em 1951, a equipe italiana participou no Brasil da Copa Rio, torneio considerado na época como um mundial, e ficou com o vice-campeonato, perdendo para o Palmeiras.

Passaram pela Juventus, muitos nomes que entraram para a história do futebol. Zoff, Scirea, Zidane, Platini, Baggio, Paolo Rossi e os brasileiros Chinesinho e José Altafini “Mazzola” são alguns deles. Mas o principal recordista no clube é Alessandro Del Piero, outro craque. O ex-atacante atuou de 1993 a  2012 e  foi quem mais vestiu a camisa do clube: 705 partidas e 298 gols.

Hoje, o principal ídolo é Buffon, que está no clube desde 2001, mas já revelou que pretende se aposentar em 2018.

Primeira camisa da Juventus era cor-de-rosa (Divulgação)