Há 50 anos, gato da Disney ganhou tratamento de rei em São Paulo, mas desprezou cardápio diabólico

Por Edmir Lima

Uma garotinha de uma cidade típica do interior dos EUA, uma mulher raptada, um gato diabólico. Estes são os ingredientes da produção da Disney que estreou nas telas paulistanas em novembro de 1967.

O astro principal do filme “O Diabólico Agente DC”, tem olhos azuis, nasceu nos Estados Unidos e se hospedou na suíte real do Othon Palace. Nada de estranho se a celebridade não fosse um gato siamês.

O gato artista veio a São Paulo para o lançamento do filme. Na entrevista coletiva concedida à imprensa ele não se sentiu muito à vontade diante de tantos flashes. Na verdade ele não respondeu a nenhuma pergunta, ouvia tudo calado. Um funcionário da empresa aérea que o trouxe ficou responsável por responder aos jornalistas. Ele disse que o animal é bonzinho, dorme num tapete sob a cama, apesar do conforto da cama da suíte, toma leite e come filé malpassado.

Os responsáveis pela permanência do gato em São Paulo disseram que receberam um telefonema de uma senhora indignada com o fato de se manter um animal tão bem acomodado em um país tão subdesenvolvido.

A atriz Dercy Gonçalves, que é dona de uma siamesa, gostaria de que sua gata e o astro se casassem, mas provavelmente isso não aconteceria por total falta de tempo.

Para homenagear DC, o Othon Palace incluiu em seu cardápio o coquetel Gato Diabólico, elaborado com gin, vodka, rum, groselha, creme de leite e gelo. O gato não quis prová-lo.

Além da coletiva, DC participaria de extensa programação, principalmente com aparições na televisão. Ele foi requisitado com antecedência por muitas emissoras.

A película conta a história de uma garota que vivia numa pacata e típica cidadezinha dos EUA. Ela acreditava que seu gato, DC, teria descoberto o paradeiro de uma mulher sequestrada. A partir daí começa uma investigação envolvendo os pais da menina e um agente federal trapalhão. Ela foi refilmada em 1997, também com produção da Disney.

De São Paulo, o astro siamês iria para Londres.

DC, o nome do gato, vem de “That Darn Cat” (de 1965), que é o título original do filme.

 

Cartaz do filme nos EUA