Há 50 anos, jogo na TV deu prêmio de Cr$ 1 milhão a Chico Buarque, Agnaldo Rayol e Ronald Golias

Por Cristiano Cipriano Pombo

Imagine os seguintes times:

1- Gilberto Gil, Caetano Veloso e Claudete Soares

2- “Os Vips” e Chico Anysio

3- Jair Rodrigues, Erasmo Carlos e Cely Campelo

4- Hebe Camargo, Roberto Carlos e Marília Medalha

5- Wanderléa, Wilson Simonal e Toni Campelo

6- Martinha, Juca Chaves e Sílvio Cesar

7- Chico Buarque, Ronald Golias e Agnaldo Rayol

E agora pense em todos eles juntos num único programa de televisão.

Foi o que aconteceu há 50 anos, quando estas estrelas da MPB, divididas em sete grupos, participou de um jogo de adivinhação de provérbios por meio de mímica no canal 7, a TV Record.

Assim, num “desfile de grande elenco de cantores e humoristas”, como descreveu a Folha em 8 de janeiro de 1968, foi realizado o programa “7 no 7”, que era realizado mensalmente.

Naquela primeira semana após o Ano-Novo de 1968, os participantes e seus respectivos times tinham diante si números de 1 a 120, cada um correspondendo a um provérbio que, por meio de gestos, um participante da equipe tinha que transmitir aos colegas.

Na primeira rodada, cada integrante pegava um número e tentava a sorte diante dos colegas. Cada acerto da equipe valia 10 pontos. Dessa forma, a ronda inicial permitia apenas 30 pontos a cada time.

X

A primeira batalha deixou para trás as equipes de Chico e Os Vips e de Jair Rodrigues, Erasmo Carlos e Cely Campelo, que conseguiram 20 pontos cada uma.

Na fase seguinte, os artistas tinham apenas dois minutos para chegar à solução e acertar o provérbio da vez.

Os cinco trios passaram com facilidade por esta etapa.

Aí o tempo foi reduzido para um minuto. E foi quando Juca Chaves se esforçou, meio desesperado, para transmitir o provérbio “É no frigir dos ovos que se conhece a manteiga” a Martinha e Silvio Cesar. Porém o humorista não teve sucesso.

Com quatro times, o tempo foi encurtado para 30 segundos, etapa que eliminou o time Gil, Caetano e Claudete.

A FINALÍSSIMA

Os três trios disputariam o prêmio de Cr$ 3 milhões (cerca de R$ 35 mil) em rodada única.

Quem abriu a série final foi Roberto Carlos. O rei escolheu o número correspondente ao provérbio “Alegria de palhaço é ver o circo pegar fogo”. Mas o cantor levou tempo para “representar” o circo, e Marília Medalha e Hebe Camargo levaram quase um minuto para chegar à resposta certa.

Foi a vez, então, de Wilson Simonal (1938-2000). Com o provérbio “Cada macaco no seu galho” e em rápida performance, o cantor permitiu que Toni Campelo e Wanderléa chegassem à resposta em apenas 11 segundos.

O sucesso fez com que Simonal desafiasse Ronald Golias (1929-2005) e posasse como vencedor.

Aí chegou a vez de Chico Buarque. Ele escolheu o número que trouxe “De grão em grão a galinha enche o papo”. Parecia coisa do destino, já que, por engano, em etapa anterior, Chico Buarque já tinha arrancado risos dos companheiros ao imitar uma penosa. Com isso na memória, Agnaldo Rayol não titubeou quando o autor de “A Banda” se ajeitou para representar o provérbio e deu a em resposta cerca de 7 segundos.

Além de permitir que Ronald Golias fosse à forra com Wilson Simonal, Rayol e Chico trouxeram o prêmio de Cr$ 3 milhões para sua equipe.

Como consolação, Simonal, Wanderléa e Toni Campelo dividiram o prêmio de Cr$ 1,5 milhão (cerca de R$ 17,5 mil).

O melhor de tudo é que, após o game televisivo, todos os artistas apresentaram seus sucessos do ano anterior e até novas composições, como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buarque.