Há 75 anos, ‘Touro Indomável’ fez ‘Sugar’ Ray conhecer 1ª derrota

Rodolfo Stipp Martino

Em 40 lutas como pugilista profissional, foram 40 vitórias, com 29 knockouts. Era essa a marca que o jovem “Sugar” Ray Robinson, com 21 anos na época, ostentava até a noite de 5 de fevereiro de 1943, quando enfrentou o destemido Jake LaMotta, o “Touro Indomável” ou “Touro do Bronx”.

Robinson, que entraria para história do boxe como o melhor pugilista de todos os tempos, era apontado como favorito para aquele combate.

Ele já havia ganhado de LaMotta uma vez. Em outubro de 1942, em Nova York, após dez rounds, venceu na decisão dos jurados. A revanche foi programada para Detroit, cidade onde Robinson viveu a infância.

Quase 19 mil torcedores encheram o Olympia Stadium para ver o confronto. E, para a surpresa do público, o lutador da “casa” mostrou que não era imbatível.

Relatos  informam que o promissor boxeador foi salvo pelo gongo no oitavo assalto.  Com a direita, LaMotta acertou um soco no corpo do adversário e, na sequência, atingiu, com a esquerda, a cabeça do rival. Robinson foi parar entre as cordas, mas, antes do knockout ser decretado pelo juiz, o sinal soou terminando o round.

A luta prosseguiu por mais dois rounds, mas a decisão foi parar nas mãos dos jurados. E, de forma unânime, decretaram o “Touro Indomável” como vencedor.

Para se ter uma ideia da façanha do lutador nascido na região do Bronx em Nova York, depois daquela luta, Robinson só voltou a perder em 1951. Ou seja, durante 11 anos ele acumulou 128 vitórias, dois empates e apenas aquele revés. Em toda a sua carreira, ganhou 175 vezes, perdeu 19 e empatou seis.

Ele conseguiu se vingar de LaMotta. Foram seis duelos no total contra o rival, e só aquela derrota (a foto acima é do quarto confronto, disputado em Nova York, em 23 de fevereiro de 1945, no momento em que Robinson acerta um golpe).

A última dessas lutas, a sexta, foi em 1951, em Chicago e ficou conhecida como “Massacre do dia de São Valentim”.

Esse combate foi suspenso no 13º assalto quando o nova-iorquino, muito castigado pelos golpes do adversário, não tinha mais condições de prosseguir lutando. Mas, bravamente, continuou em pé, não se entregou, e o duelo teve que ser interrompido.

Aliás, a vida de LaMotta serviu de tema ao filme “Touro Indomável”, de 1980, de Martin Scorsese, que deu o Oscar de melhor ator a Robert De Niro.

Imagem de Sugar Ray Robinson (dir.) e  LaMotta  duelando no ringue (Reprodução/YouTube)